Quarta-feira, 4 de Maio de 2011

Ainda Há Tabernas ? - Clara Castilho

 

Fotografia de Maurício Abreu  in “Tabernas – Lugares de encontro e solidão em Setúbal”,Câmara Municipal de Setúbal, 1990

 

 

Há umas semanas sai em grupo, à procura de caracóis. Tínhamos acabado um programa “cultural” na Amadora e por lá ficámos, dado que até tínhamos cicerones locais. Um amigo quis-nos levar a uma taberna recentemente renovada, imposição de novas regras e leis. Mantinha o chão e as divisórias da frente originais mas nos fundos tinham sido aproveitados outros espaços, tendo em vista fazer casas de banho e futuras salas de jantar, quando as economias o permitissem. As pipas de vinho lá continuavam mas num enquadramento perfeitamente branco, não deixando revelar o muito líquido que por ali tinha passado. Algumas das mesas onde nos sentámos ainda tinham os tampos em mármore. Nas paredes as decorações eram com objectos antigos, alguns com alguma piada.

Enquanto bebia uma mini – a meio da tarde um copo de três não desceria bem pela goela abaixo – e petiscava umas fatias de queijo e amendoins, lembrei outras estadias noutras tabernas. Concretamente, a primeira piela de alguns jovens, a ensaiarem trabalhar no primeiro campo de trabalho para estudantes, no início dos anos 70. Acampávamos num terreno junto a uma estação de caminho de ferro, que só devia ver aí dois ou três comboios por dia. Junto a ela, havia uma taberna. Nela, os jovens experimentaram  os primeiros golos de álcool, longe da família e de rédeas habituais. Como o bagaço é de sabor forte, provavam o “eduardinho”, xaroposo e açucarado… Muitos iam em braços para as tendas e no dia seguinte as olheiras denunciavam-nos, assim como o ritmo mais lento na apanha do pepino.

Lembrei os homens, tristes e sós, que frequentavam as tabernas e no que elas representaram no passado na nossa vivência colectiva. Lugar de convívio, do afogar as mágoas pessoais e sociais. Lugar de cumplicidades, de coesão social, de ostracismo para com o estranho que ali penetrava. Lembrei descrições preciosas da literatura portuguesa e cenas de filmes que tão bem ilustraram esse ambiente. Lembrei as mulheres que se atreviam a lá entrar, humilhando seus maridos, tentando chamá-los à razão e levando-os para o lar. Lembrei as mulheres que foram sovadas quando muitos desses homens chegavam a casa já entornados e nelas descarregavam tudo o que de mal lhes corria na vida.

 

 

 

Atrás de mim, uma pipa fazia de mesa. E um senhor idoso, triste e solitário, bebia uma cerveja sem álcool. A galhofa que decorria à minha frente parecia-me uma ofensa àquele ser. Que história de vida seria a sua? Que alegrias, que tristezas? Quantas horas de sua vida terá passado em tabernas? Que alternativas terá tido para ocupar o seu tempo? Que companhias teve? Que consequências na sua saúde a ingestão, eventualmente exagerada, de vinho?

A relação com o álcool é hoje diferente. Não melhor, diferente. Sobre o vinho já escrevi (-“ Vinho – com ele me deleito”). O álcool, puro e duro, é outra coisa.

publicado por atributosestrolabio às 18:00
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links