Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010

A nossa encantadora Natureza - 6, por Andreia Dias

Salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra)




“Biec! Que nojo!” Estarão alguns certamente a pensar…

A verdade é que os anfíbios (e os répteis) não causam tanta empatia entre os humanos como por exemplo, os mamíferos e as aves. Provavelmente o desconhecimento dos exemplares, as tradições e mitos (falsos!) associados a estes animais, elevam a repulsa muitas vezes sentida. Tudo o que seja rastejante e viscoso, pertence a um grupo de animais tradicionalmente excomungados, em que a maioria das pessoas diz “mata!”.



Os anfíbios são muito importantes como controladores de insectos e outros invertebrados. São bons indicadores biológicos e ambientais (necessitam de um ecossistema equilibrado). As grandes indústrias farmacêuticas procuram cada vez mais estes animais pelos compostos químicos presentes na sua pele com propriedades importantes (ex. analgésicos).


Conhecida por salamandra, saramela, saramantiga, ou salamaganta, a sua actividade é quase exclusivamente nocturna e está muito dependente de condições ambientais favoráveis, como humidade relativa elevada, temperatura nocturna ente os 4º e os 14º C e ausência de vento.

As salamandras estão protegidas contra predadores devido à sua elevada toxicidade, segregando substâncias tóxicas através das suas glândulas parótidas e por vezes também arqueando o corpo expondo as glândulas e exibindo a sua coloração, como medida de dissuasão. Alimentam-se de insectos, caracóis, lesmas, centopeias e aranhas.

Ocupam uma grande diversidade de habitats e em Portugal, as populações de salamandra mais vulneráveis, parecem ser as do Sul do país. Está sujeita a dois factores de ameaça principais: a destruição do seu habitat e a introdução de predadores em meio aquático (onde habitualmente de reproduzem). O caso mais representativo desta situação é o lagostim-vermelho-da-Louisiana abundante na região mais ocidental do Alentejo. A erradicação ou pelo menos controlo das populações de lagostim poderá ser a medida de conservação mais eficaz a implementar a curto prazo.

Curiosidades: No Sul de Portugal foi encontrado um indivíduo com 253 mm. (o tamanho médio varia entre 140 – 170 mm).

A longevidade conhecida para esta espécie na natureza é de 20 anos, podendo atingir 50 anos em cativeiro.

Uma crença popular afirma que as salamandras são as primeiras a chegar ao corpo do Homem depois de morto e enterrado. É tido como um animal peçonhento e muitas vezes é morto só por isso, como tantos outros…

Nota: As fotos foram tiradas em Fornos de Algodres.
publicado por Carlos Loures às 16:30
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links