Sábado, 21 de Maio de 2011

A República nos livros de ontem nos livros de hoje - CXIX e CXX, por José Brandão

Na Primeira Presidência da República Portuguesa

 

 

 

 

Manuel D’Arriaga

 

Clássica Editora, 1916

 

 

Começaremos por confessar que nunca fomos políticos de profissão. A política como ela se pratica em Portugal deturpando a pureza do sufrágio, foi sempre aos nossos olhos uma das causas primaciais da degradação dos costumes e da decadência do País.

 

Se a política (ciência e arte de bem governar) fosse a prolongação e o complemento da medicina e da higiene e como tal introduzisse e mantivesse nos Órgãos da vida colectiva, o concurso, a mutualidade e a solidariedade que a natureza impõe aos órgãos da vida individual, por cujas virtudes triunfam as maravilhas da criação: a política alcançaria em toda a redondeza da Terra a estabilidade das instituições humanas, a independência e a felicidade dos indivíduos e dos povos. frestas circunstâncias nós seriamos políticos de profissão.

 

_______________________

 

 

 

A Noite Sangrenta

 

José Brandão

 

Publicações Alfa, 1991

 

O Pais estava no rescaldo do Sidonismo e da Monarquia do Norte, conspirava-se à barba longa, com a própria Polícia de Segurança do Estado a tomar parte activa nos diversos conluios revolucionários.

 

Entretanto, na chefia do Governo, António Granjo era uma espécie de condenado a caminho da Rocha Tarpeia, convencido de que caminhava para o Capitólio e, por consequência, para o triunfo.

 

A República era mais que nunca «uma marcha heróica para um cano de esgoto», conforme dizia o escritor Raul Brandão.

 

O sangue da Noite Sangrenta era do tom do vermelho da bandeira republicana de 5 de Outubro de 1910. Era sangue de fundadores do regime e de homens com nome gravado na glória verde-rubra, era sangue da República, era sangue de Portugal.

 

__________________________________

publicado por João Machado às 17:00
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links