Segunda-feira, 4 de Abril de 2011

Do Canadá vem o pedido: banir o uso da burka por Luis Moreira

Por cá volta o assunto dos crucifixos nas escolas. Escola estatal laica , alunos professando diversas religiões, não há lugar para o crucifixo na parede na sala de aula. Mas o lenço muçulmano na cabeça já é tido como aceitável embora dando uma indicação de caracter religioso.

 

 

 

 

 

Agora são os próprios muçulmanos que apelam à proibição do uso da burka.

 

Eu, já tenho visto mulheres com o lenço muçulmano a cobri-lhes os cabelos e, francamente, não me choca nada. Outro tanto não se passa com a burka que também já vi um par de vezes. Acho que é feio e intolerável que se trate assim um ser homano.

 

Mas será que o lenço muçulmano é um sinal religioso e quem o usa dá esse sinal, tal qual quem usa o crucifixo? Não sei se ainda é assim. Antigamente as avós ofereciam aos filhos e aos netos um crucifixo para pendurar ao pescoço era a melhor forma de os proteger do diabo  e das tentações, mas agora não sei se tanto o crucifixo como o véu ainda são símbolos religiosos.

 

Quem ainda não viu o "pintarolas" de óculos "rain-ban", camisa aberta até ao umbigo a mostrar o bronze e o "fio" onde se pendura o crucifixo? Aquilo não é símbolo religioso coisa nenhuma, é vaidade, deriva da mente "bronca" do proprietário. E aqueles que no inverno, com camisolas de gola alta e o "fio" a sai-lhes pelo "garganete" a mostrar o ouro feito crucifixo?

 

E com o lenço será também assim, há quem o use por razões religiosas ( e aí, se é assim, numa sala de aulas , pelas mesmas razões do crucifixo na parede, deve ser retirado ) e há quem o use por razões distintivas de nacionalidade em terra estranha. A democracia é suficientemente generosa para permitir o que na terra deles é proíbido, mas não o deve ser ao ponto de anular a nossa própria cultura e a nossa forma de viver.

 

Agora, e como (quase) sempre acontece as ideias amadurecem e o bom senso volta, são os próprios muçulmanos a viver na cultura ocidental que consideram a "burka" um hábito desumano a que as mulheres estão sujeitas.

 

Mas a verdade é que eu já vi no Parque das Nações uma pobre mulher "envergonhada" dos pés à cabeça, num lindo dia de sol, com o barbudo marido vestido de linho branco (estava calor) a brincar com os dois filhos.

 

Deixei de ter dúvidas! Não devemos transigir com hábitos que transgridem os nossos e que, para mais, não acrescentam nada à dignidade do ser humano.

publicado por Luis Moreira às 13:00
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links