Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010

Ensitel - declaração de guerra

Luis Moreira

COMUNICADO

por Ensitel a Terça-feira, 28 de Dezembro de 2010 às 17:37

A Ensitel, Lojas de Comunicações, S.A. (“Ensitel”) está a ser confrontada com um conjunto de declarações divulgadas através das redes sociais Facebook e Twiter, decidindo por isso, apresentar o seguinte breve esclarecimento:

A “Ensitel” não põe minimamente em causa qualquer tipo ou forma de liberdade de expressão, mas repudia, rejeita e não aceita ser alvo de uma autêntica campanha difamatória, assente em factos absolutamente falsos que têm como único intuito denegrir a imagem e boa reputação que a “Ensitel” construiu ao longo de 21 anos, apenas porque o cliente não se conformou com uma decisão judicial que lhe foi desfavorável.
Nestes 21 anos de existência, os clientes têm sido e continuarão a ser o maior valor da Ensitel, garantindo a mesma, que todos os seus direitos são preservados e salvaguardados.

A Administração

Pelo que parece e sem ter acesso a toda a matéria, a decisão judicial não é mais que uma providência cautelar que se conforma segundo o pedido da autora, nada diz sobre a bondade da matéria principal. Por isso, eu acho, até porque se trata de uma empresa que pode pagar a advogados, que este comunicado é uma declaração de guerra.

Claro, que a posição empresarial estúpida da empresa, neste caso, não pode ser argumento para atirar para cima do cliente as consequências de uma política a léguas do que aconselha a comunicação com os clientes, a marca e os mercados.

Com o tipo de Justiça que temos, podemos calcular os seguintes passos:
- a Ensitel, tenta refazer os estragos nos mercados de que só ela é culpada, pelo menos na dimensão que o assunto tomou.

- recorre para a Justiça porque nesta primeira faze a providência cautelar, com um mínimo de fundamento, é sempre aceite, dando ideia de uma razão, que no fim do processo pode bem não lhe ser reconhecida

- as custas do processo são muito elevadas, e a Ensitel, como empresa, tem uma capacidade financeira muito superior a qualquer cliente individual e, tem mesmo a vantagem de classificar como custos, despesas que, no caso da cliente lhe saem do bolso sem retoma a não ser que ganhe o processo

- após anos de tribunais e de recursos, sempre por iniciativa de quem tem capacidade financeira e a possibilidade de considerar as custas como "custos" na sua contabilidade ( desta forma, reduzindo o lucro tributável, coloca o Estado a suportar parte das custas...) mesmo que a cliente ganhe, é uma luta desigual.

Isto é, mesmo que o assunto tenha sido alavancado pela cliente, os estragos na imagem da empresa, resultam da estratégia errada da Ensitel, que vai agora, à custa de dinheiro, esmagar um consumidor que teve a desdita de ser sua cliente.

<input ... ><input ... ><input ... ><input ... >

publicado por Luis Moreira às 23:00
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links