Domingo, 20 de Junho de 2010

Coisas breves. Comissão de Inquérito, flop com flic-flac à retaguarda

Carlos Mesquita

Dois meses depois e ouvidas 34 personalidades da política, do meio empresarial e da comunicação social, a montanha nem um rato pariu, nada. Nunca houve caso político PT/TVI. A Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso PT/TVI transformou-se ela própria no “caso”. Pretendia ser a continuação das audições da Comissão de Ética, versão “séria” investida de mais poderes, diz-se até próximos dos poderes dos tribunais. Viu-se deputados sem toga e com as galochas da política partidária, a fazer de instrutores e julgadores simultaneamente; viram-se períodos do inquérito a raiar o abuso com apartes e juízos sobre o carácter dos inquiridos, e tivemos uma amostra do que é um tribunal político, em que adversários objectivos da luta politica estão: uns investidos da capacidade e autoridade de julgar e outros à defesa. Não se provou que a PT tinha interesses políticos; (escrevi em 2 de Março no Semanário Transmontano - está online - sobre as intenções do negócio) o inquérito indicou que havia razões empresariais para as negociações entre a PT e a TVI. Toda a controvérsia criada parte dum pressuposto que não se verificava, a manipulação política da PT.

A razão para a Comissão de Inquérito passou a ser entendida em vários sectores, como oportunidade para a utilizar no combate partidário perante a perspectiva de eleições, no fundo para desgastar o líder do governo. Só que o contexto político alterou-se; o inquérito ainda ia a meio, já toda a gente tinha percebido que não haveria eleições nos tempos próximos. Daí para cá a tarefa dos promotores do inquérito foi o de salvar a face, ainda por cima o decurso das audições só arrancava convicções e opiniões pessoais, provas, zero. Escrevia no mesmo jornal em Abril, “No Parlamento continua o inquérito para saber a opinião dumas figuras da política e do meio empresarial sobre o que se passa (ou passou) na cabeça do primeiro-ministro. Um diz que não mentiu, a maioria dos partidos inquiridores querem provar que mentiu, juntaram as ditas figuras, à vez, uns dizem que estão convictos que mentiu outros que estão convictos que não mentiu, eu estou convicto que isto é tudo uma estupidez.

Se nada provarem e convicções nada provam, se não se passar do achar assim ou assado, acho que o Parlamento devia dizer quanto custou, em euros, esta sondagem de achamentos.” O próprio relator do inquérito confessa agora em entrevista ao “DN” que está metido numa confusão, diz que “se Sócrates tivesse respondido com clareza, nada disto tinha acontecido”. Mas em política não há como fazer marcha-atrás airosamente, todos sabiam que ou tinham sucesso na acusação e da Comissão de Inquérito saíam consequência para José Sócrates ou quem ficava mal eram os partidos da oposição. Levaram uma semana a formular um relatório que segundo Pedro Passos Coelho, lhe causa “alguma frustração” por “as conclusões não serem suficientemente categóricas”.

Pois, o relatório não prova que Sócrates mentiu, quando muito, dizem, que não disse toda a verdade. Assim, Passos Coelho não mentiu quando prometeu na campanha interna para a liderança do PSD, que apresentaria uma moção de censura, quando muito Passos Coelho não disse toda a verdade. Os outros partidos também estão frustrados por Passos Coelho não apresentar uma moção de censura, porque o relatório que todos aprovaram não diz (porque eles não o escreveram lá) que Sócrates mentiu. O relatório quer embrulhar-nos em papel parvo… papel pardo.

Jogo baixo, salto mortal empranchado, ninguém os tira do chão.
tags: ,
publicado por Carlos Loures às 09:00
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links