Domingo, 19 de Dezembro de 2010

Coisas do futebol -(e não só), por Carlos Godinho



(Foto de Francisco Paraíso)
Deco

Ontem deu uma curiosa entrevista ao jornal "A Bola", através do meu amigo José Manuel Freitas. Sei que alguns dos visitantes deste blog não o apreciam, mas não é esse o meu caso dado que depois de o ter conhecido o considerei uma pessoa extremamente inteligente e sabedor, como poucos, dos caminhos que trilhava. Esteve sempre disponível, algumas vezes prejudicando mesmo a sua carreira nos clubes onde se encontrava. Nunca duvidei das suas intenções nem tenho motivos reais para tal. Estando de fora, talvez não compreendesse algumas das suas opções ou palavras. Aqui na Selecção nunca foi esse o meu entendimento. Admito opiniões contrárias, como quem não pensa como eu terá de aceitar as minhas. Não vou obviamente falar das suas palavras acerca de Carlos Queiroz, dado que não sou seu advogado, nem ele precisa de tal. As suas conclusões e ideias são claras e só o próprio as poderá rebater, mas quero reafirmar aquilo que disse de uma forma simples e objectiva: "Como já lhe referi, sinto falta de Portugal pelas mais variadas situações, muito especialmente porque o País está inteirmente ligado à minha vida. Nessa medida, na minha cabeça está muito claro aquilo que sou: por tudo aquilo que vivi sou português de coração! E isso chega, pois não há forma de conseguir demonstrar sentimentos."

BPN

Segundo o "Expresso" de hoje, num artigo impressionante, cerca de 20 quadros superiores do BPN, sem trabalharem desde 2008, continuam a receber os seus vencimentos, havendo mesmo alguns deles pronunciados por crimes relacionados com a gestão danosa do banco. Foi um autêntico assalto à mão armada aquilo que alguns elementos dessa instituição bancária fizeram aos nossos bolsos, dado que na realidade, clientes ou não, estamos todos a pagar e não se sabe, segundo o jornal, quando deixaremos de o fazer. Se fossem quadros baixos do banco decerto que já teriam sido despedidos, mas como são superiores e no final, como é hábito, serão considerados inocentes e indemnizados, por lá continuam, enquanto o Zé Povinho continua a pagar. O azar do Madoff foi viver nos EUA, tivesse ele vivido e roubado, como o fez, em Portugal, e estaria decerto em grande situação financeira com alguns largos milhões em off-shores nas Caraíbas, curtindo a vida como se nada tivesse acontecido.





Ao sabor...do vento do deserto

Para os bloguistas, pessoas como Blatter, são uma alimento fantástico. Depois das declarações sobre os homossexuais, ontem veio pedir desculpa aos ditos. Depois das declarações de Platini sobre o facto do calor no Qatar, em Junho, não ter qualquer inconveniente, ontem veio também sugerir, tal como Beckenbauer, que afinal o mundial desse ano poderá ser disputado noutra época, ou seja no inverno. Ora, depois de meio-mundo, em toda a imprensa mundial, e na internet, se ter referido que as temperaturas naquela região seriam insurportáveis para os jogadores e mesmo para os adeptos, e de também se ter referido que os hábitos, costumes, tradições dos povos arábes seriam incompatíveis com a chegada de centenas de milhares de estrangeiros com hábitos diversos, vem agora dizer que tudo será possível. Amanhã o que dirá? Uma certeza tenho eu, em 2022 já não será presidente da FIFA, pelo que quem vier a seguir feche a porta e leve com o odioso.
publicado por Carlos Loures às 10:00
link | favorito
Domingo, 28 de Novembro de 2010

Electicidade sem extras: petição da DECO

Pedro Godinho

A DECO - Associação de Defesa do Consumidor lançou uma petição electrónica contestanto o valor elevado de custos extras incluídos na factura da electricidade, sem relação directa com o consumo das pessoas ou com a produção e distribuição de energia eléctrica, e exigindo uma redução nas facturas do valor dessa parcela dos "custos de interesse geral".

A petição, já com mais de 50 mil subscritores, está disponível em:
http://www.deco.proteste.pt/servicos-basicos/contra-extras-na-electricidade-junte-se-a-nos-s626501.htm


"A proposta de aumento médio de 3,8% na factura da energia eléctrica resulta de custos impostos ao sector que ganham uma dimensão insustentável. Exigimos cortes em várias áreas.
Em 2011, o custo da electricidade vai pesar mais no orçamento dos consumidores. A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos propôs, em Outubro, uma média de 3,8% de aumento na tarifa da electricidade.
Opções políticas e medidas legislativas condicionam a fixação das tarifas e levam a que a parcela dos “Custos de Interesse Geral” continue com um crescimento imparável. Em 2011, prevê-se um total de 2,5 mil milhões de euros de custos, um aumento superior a 30%, face a 2010. Por exemplo, na factura, por cada € 100 pagos, € 42 referem-se a “Custos de Interesse Geral”, que podem e devem ser reduzidos. Alguns não têm relação directa com a produção e distribuição de energia eléctrica.
É indispensável e urgente repensar a política de taxas e sobrecustos que recai nas nossas facturas. Para 2011, a diminuição de 10% nestes custos levaria a uma redução de 5% na factura.
Há muito que a DECO alerta para a situação no sector e exige uma redução dos custos de interesse geral, para que o preço a pagar pelos consumidores seja mais justo."
publicado por estrolabio às 19:30
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links