Segunda-feira, 20 de Setembro de 2010

É a crise, estúpido!

Pedro Godinho


Pedro (educado): Bom dia, Primeiro.

José (divertido): Bom dia, Segundo. Ah, ah.

Pedro (amuado): Também não é preciso ser assim, vim para ajudar…

José (recordado): Mas a bruxa foi sempre só ataques pessoais, pá…

Pedro (seguro): É o que estou a mudar, assim não íamos lá e o pessoal está desejoso de voltar a fazer parte dos donos da bola.

José (estadista): O que é preciso é que vocês não se ponham ao lado dos outros e negativos contra tudo o que eu faço. Temos de cumprir com o PEC.

Pedro (solícito): Nós também queremos PECar… Precisamos é duma oportunidade de cooperação estratégica e a bem do país, claro.

José (acolhedor): Deixem então de ser um entrave às medidas que o país precisa… Agora é possível explicar tudo dizendo que é a crise e exigência do PEC.

Pedro (retraído): Mas o José contradiz-se ao insistir em avançar com os grandes investimentos para os quais não há dinheiro.

José (superior): Eh pá, não podemos parar tudo e há compromissos a respeitar. Fala com os teus autarcas que eles explicam... As máquinas precisam de óleo!

Pedro (aplicado): Vou ver com os meus conselheiros mas há coisas que não podemos deixar de criticar, para continuar a ter mão no clube.

José (agradado): É a crise… Porreiro, pá.
publicado por Carlos Loures às 02:00
link | favorito
7 comentários:
De clara castilho a 20 de Setembro de 2010
Que forma de sintetizar a situação política!

Tens é que introduzir mais uns nomezitos...
De augusta.clara a 20 de Setembro de 2010
Só fiquei com uma dúvida: esse Pedro és tu? É que me lembro de, há muitos anos, ouvir o Leça dizer-te "Quando chegares à minha idade, se calhar, já és social-democrata" :)
De Pedro Godinho a 21 de Setembro de 2010
Querida Augusta,

Apesar do nome o PSD não é social-democrata.
É-o menos ainda o Passos Coelho (Pedro).
Também não creio que o seja o Sócrates (José).

O Leça é um visionário.
Nalgumas coisas tem razão antes do tempo.
Não me lembro dele me ter dito o que citas, mas nessa não acertou.
Também ainda não cheguei à idade dele; ao mesmo tempo que me vou chegando vai ele também avançando.
De carlos loures a 21 de Setembro de 2010
Lembro-me de o Leça numa das nossas reuniões te ter dito isso, respondendo a uma intervenção tua. Não estavas de acordo com ele. Mas, eu que tantas vezes discordo dele, quero prestar a minha homenagem a um homem que defende com uma convicção absoluta as suas ideias e que se está marimbando para o politicamente correcto. As suas ideias, avançadas no tempo, são dificilmente aplicáveis na prática - é um visionário, como dizes. Mas é um visionário de uma grande coerência e de uma grande integridade - defende aquilo em que acredita, sem concessões, sem transigências e sem se preocupar com consensos (que só estabelece consigo mesmo). Como podemos não admirar uma pessoa assim?
De augusta.clara a 21 de Setembro de 2010
Pedrinho (deixa-me chamar-te assim),lá esperto és tu: também os teus filhos nunca te irão apanhar :) Pois é, esses que referes no conto nem se sabe bem o que é que são nem sequer já me interessa classificá-los. Quanto ao nosso querido amigo Leça, apesar de se zangar sempre connosco quando não apadrinhamos a 100% as ideias dele, será sempre uma das pessoas de raciocínio mais brilhante que conheço. Quando o oiço falar, vejo-lhe a inteligência a fluir. E o mesmo com o Rui. Que é feito do Rui Oliveira? Outro dos nossos brilhantes amigos.
De Pedro Godinho a 22 de Setembro de 2010
Usei visionário estritamente no sentido de pessoa de grande visão.
Tenho pelo Leça uma admiração infinita, pelo seu raciocínio e coerência claro mas também como amigo que tanto faz por quem tem amizade.
Um homem ímpar.
Com quem tanto continuo a aprender.
De carlos loures a 22 de Setembro de 2010
Uma das grandes qualidades do Leça da Veiga é dizer sempre o que pensa. já aqui contei a saída dele numa reunião clandestina (em 1973), onde, referindo-se ás reuniões da CDE, manipuladas pelo PC e voltadas para o recenseamento elitoral, disse que para perdermos tempo com aquelas inutilidades, melhor seria irmos para a União Nacional - «pelo menos tem ar condicionado», terminou, aludindo ao calor sufocante que se sentia na sala onde reuníamos. Outra, lançou-a, já depois de Abril, numa reunião com ambientalistas que preconizavam qualquer acção em defesa das baleias, o nosso Leça, com aquele ar calmo de quem só diz evidências, lança esta: «As baleias extinguirem-se é uma coisa natural e inevitável. As espécies extinguem-se. Se assim não fosse, já viram o que era entrar por aqui dentro um dinossáurio?». Seguiu-se um silêncio incómodo e algumas gargalhadas dos poucos que, ecologistas ou não, tinham sentido de humor.

Comentar post

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links