Terça-feira, 5 de Julho de 2011

6 - José Estaline (Иосиф Виссарионович Сталин)* - por Carlos Loures

 

 

(Continuação)

 

Koba o agitador

 

Estávamos ainda em 1905.  Em Abril realizou-se em Londres o III - Congresso do Partido Social Democrata, que foi convocado pelos bolcheviques (ala maioritária). Embora os mencheviques (minoria) o tivessem denunciado como ilegal, o congresso fez-se, constituindo um passo em frente na decisão de Lenine de formar um partido revolucionário.Koba aderiu à facção bolchevique. Em Dezembro, munido de um passaporte falso, viajou para Tammefors, na Finlândia para assistir a uma conferência do partido na qual ficou decidido o levantamento armado e o boicote às eleições da Duma (parlamento), Foi uma viagem decisiva na qual, Estaline encontrou pela primeira vez Lenine. Quase vinte anos mais tarde dirá sobre este encontro: «Eu ansiava por ver a  “águia real” do nosso partido, o grande homem; e grande não apenas na política, mas também fisicamente, porque na minha imaginação, eu via Lenine como um majestoso e imponente gigante. Qual não foi, pois a minha decepção quando se me deparou um homem normal, de estatura inferior à média e em nada, literalmente em nada, diferente dos outros homens (…) Só mais tarde compreendi que a simplicidade e a modéstia de Lenine, a sua luta por passar despercebido, era uma das características mais destacadas como novo líder das novas massas, das massas simples e representativas da humanidade na sua essência.»

 

Estaline e Lenine no VIII Congresso

 

 

 

Em 1906, participou em Estocolmo no IV Congresso do partido. Escreveu artigos sobre o anarquismo, a questão agrária, a luta de classes e a revolução. Em 1907, assistiu ao V Congresso em Londres. Após um espectacular  assalto a um banco no centro de Tiflis, viu-se forçado a refugiar-se em Baku, onde iria desenvolver a sua actividade clandestina. Estava com quase trinta anos.

 

Pensa-se que terá sido em 1908 que nasceu o seu filho Yakob. Em Março desse ano foi preso e encarcerado na prisão de Bailov. Em Dezembro foi desterrado para Vologda e depois, em Janeiro de 1909, para a cidade de Solvychegodsk. Porém, conseguiu evadir-se, refugiando-se primeiro em Baku e depois em Tiflis.

 

Durante este período, escreveu artigos sobre a crise que o Partido atravessava, criticando duramente a direcção bolchevique instalada no exílio. Declarou-se a favor de uma mudança estratégica – o Partido enveredar pela luta legal no interior do país. Em 1910 actuava em Baku como representante do Comité Central. Foi novamente preso, sendo deportado para Solvychegodsk. Em 1911 viajou clandestinamente para Sampetesburgo, sendo preso e desterrado. Desta vez para Vologda.

 

Foram tempos difíceis.

 

(Continua)

 

 

publicado por Carlos Loures às 21:00

editado por João Machado em 04/07/2011 às 22:25
link | favorito

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links