Sexta-feira, 24 de Junho de 2011

São João - Fernando Pessoa

 

Fernando Pessoa  São João

 

(ilustrações de Almada Negreiros)

 

 

 

 

 

 

Ó Precursor, fizestel-a bonita!

Não que teu Christo, incarnação do Bem —

Não seja quem seja o teu Divino Anunciado.

O mal são os que após, sem mystica divina

Nem ternura christã, ou só humana,

Metteram a Jesus na cella da doutrina

Com as algemas do ódio manietado

Para depois manchar de falsa fé

O pobre homem que todo homem é

 

A cruel multidão negramente infinita

Que tem sido o algoz ou o ladrão

Da ingénua humanidade afflicta —

Esses que, aqui mesmo, pelos modos,

Dão ao inferno realisação...

 

Ah, não podiam ser peores, nem

Que a mulher do Diabo, se elle a tem,

Os tivesse parido a todos.

 

Eu bem sei que houve muito santo e crente,

Muito puro, bondoso e inocente.

Bem sei, bem sei:

Sei-o eu e sabe-o toda a gente.

 

Mas esses, cuja alma está em Christo

São só isto —

Qualquer remédio que se dissolvesse

No chá que para isso ha,

E cujo gosto nelle se perdesse;

O chá fica sabendo só a chá.

Se o remédio faz bem,

Não o sabe ninguém.

Que o chá não presta, não duvida alguém.

 

Sabemos isso, e sabel-o hia antes

De todos nós teu Mestre que viria,

Propheta, Deus e guia dos errantes,

Quão dolorosamente o saberia?

Sei que houve astros no céu da fé vazia.

 

Sei, mas repara que falso isso soa!

Por mais astros que a noite use brilhantes,

Que Diabo!, a noite não se chama dia.

 

Ó Precursor! Fizeste-a boa!

 

Dahi, para nós, és de Lisboa,

Não és o precursor de nada.

Es um rapaz ainda menino

Que tem por missão boa,

Por missão sorridente e socegada

Ter ao collo um cordeiro pequenino.

 

Lá o que esse cordeiro significa

Não tem cheiro

Para o povo, que tem a alma rica

Da emoção que não conhece.

Para elle o cordeiro é um cordeiro,

E o menino sorri e a vida esquece.

 

O resto são fogueiras

E os saltos dados a gritar

Com um medo exaggerado

Feito tudo de maneira

A mostrar

O riso, as pernas e o agrado.

E quente e anonyma a aragem,

Tudo é juventude e viço

Num arraial multicolor e vasto.

Bonito serviço

Como homenagem

A quem, ainda com cabeça, foi um casto!

 

Mas é assim que és

E é assim que serás,

Até que pisem esta terra os pés

Do ultimo fado que o Destino traz.

 

Então, esperamos, eu e todos,

Ver-te "surgir no céu", como quem vence

Tudo que é realidade ou illusão

Por o menino ser que lhe pertence,

E os seus bons e santos modos

"Com o cordeirinho na mão",

Como te viu Catullo Cearense.

 

Mas, desçamos à terra,

Que, por enquanto, o céu aterra,

Porque antes d'isso mette a morte.

Ha muita coisa desconhecida

Na tua vida.

Tens muita sorte

Em ninguém saber da partida

Que em mil setecentos e dezassete

Tu fizeste à Egreja constituída

Estás, eu bem sei, cansado

Com o que a Egreja se intromette

Com tua vida e o teu divino fado.

 

(E) foi então que, para te vingar

E à maneira de santo, os arreliar

Desceste mansamente à terra

Perfeitamente disfarçado

E fizeste entre os homens da razão

Um milagre assignado,

Mas cuja assignatura se erra

Quando em teu dia, S. João do Verão,

Fundaste a Grande Loja de Inglaterra.

Isto agora é que é bom,

Se bem que vagamente rocambolico

 

Eu a julgar-te até catholico,

E tu sahes-me maçon.

Bem, ahi é que ha espaço para tudo,

Para o bem temporal do mundo vario.

Que o teu sorriso doure quanto estudo

E o teu Cordeiro

Me faça sempre justo e verdadeiro,

Prompto a fazer fallar o coração

Alto e bom som

Contra todas as fórmulas do mal,

Contra tudo que torna o homem precário.

Se és maçon,

Sou mais do que maçon — eu sou templário.

 

Esqueço-te santo

Deslembro o teu indefinido encanto.

 

Meu Irmão, dou-te o abraço fraternal.

 

(in Fernando Pessoa, Os Santos Populares, Edições Salamandra e Casa Fernando Pessoa)

 

 

Nota: Se não fosse a Carla, não haveria cantiga para o São João porque eu desconhecia esta interpretação da Amália. Vamos ver se alguém descobre uma para o São Pedro.

 

 

 

 

 

 

.

publicado por Augusta Clara às 19:00
link | favorito
1 comentário:
De Inês Aguiar a 25 de Junho de 2011
E, para a Augusta Clara, obrigada aqui da invicta na ressaca da noite mais longa da cidade.
És um diamante raro, um beijão de S.João

Comentar post

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Transcrevi este artigo n'A Viagem dos Argonautas, ...
Sou natural duma aldeia muito perto de sta Maria d...
tudo treta...nem cristovao,nem europeu nenhum desc...
Boa tarde Marcos CruzQuantos números foram editado...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Conheci hackers profissionais além da imaginação h...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Esses grupos de CYBER GURUS ajudaram minha família...
Eles são um conjunto sofisticado e irrestrito de h...
Esse grupo de gurus cibernéticos ajudou minha famí...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links