Segunda-feira, 20 de Junho de 2011

Fotografia de José Magalhães com poema de Manuel Simões

 

 

ENTARDECER

 

    
1

O entardecer desorganiza

o nosso mundo,

exalta o canto

doloroso das aves

 

como apelo que flutua

no verde das árvores

de súbito acolhendo

os estranhos, espúrios

frutos da noite.

     
2

Já não tarda o entardecer:

as aves pressentem o lento

progredir das sombras, o vento

ausente que as sufoca, o único

irrepetível surpreender

das trevas.

 

Manuel Simões

 

(De "Micromundos",Lisboa, Colibri, 2005).

 

 

À meia-noite chegará o última das seis fotos desta exposição com  um belo poema de Sílvio Castro

 

publicado por Carlos Loures às 23:30

editado por João Machado às 22:06
link | comentar | favorito
1 comentário:
De José Magalhães a 29 de Junho de 2011
Obrigado Manuel Simões, pelo poema aqui apresentado

Comentar post

.Páginas

Página inicial
Editorial

.Carta aberta de Júlio Marques Mota aos líderes parlamentares

Carta aberta

.Dia de Lisboa - 24 horas inteiramente dedicadas à cidade de Lisboa

Dia de Lisboa

.Contacte-nos

estrolabio(at)gmail.com

.últ. comentários

Jestem osobą fizyczną oferującą pożyczki międzynar...
I got my already programmed and blanked ATM card t...
Meu nome é Valeria Marco. Há 6 meses atrás, meu ne...
Meu nome é Patricia Martins, de Portugal, mãe solt...
Você está interessado em um empréstimo? nós oferec...
Sera que não vai sair do roupeiro? ? E a roupa fic...
Hoje entrou uma para o meu roupeiro e não a consig...
Para todas as suas necessidades de financiamento p...
Para todas as suas necessidades de financiamento p...
Para todas as suas necessidades de financiamento p...

.Livros


sugestão: revista arqa #84/85

.arquivos

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

.links