Sábado, 16 de Julho de 2011
Palavras Interditas - por Paxiano

 

 

Leio nos teus olhos palavras

interditas

Palavras que oferecem um mar

infindável

Na busca dum fim sublime

Eloquente brilho dum mar

admirável

 

 

 

Palavras e sons intermináveis

Duma missão não cumprida

Palavras solenes interditas

Sílabas vagarosas sumidas

Que se revelam quase perdidas

 

 

 

Nesse caminho indecifrável

Atingiremos novos limites

Tão difíceis e desejáveis

Que se escondem nos alvitres

 

 

Nos teus olhos ficaram escritas

Letras das palavras interditas

 

 

 



publicado por Luis Moreira às 10:00
link do post | comentar

Sexta-feira, 15 de Julho de 2011
SÓTÃO DESARRUMADO Parte II por Adriano Pacheco

 1ª parte

 

 

 

Acontece que entretanto, Olinda teve de se ausentar para o estrangeiro por algum tempo, deixando o sótão bem tratado, habitável e com bom arejamento. Passados alguns tempos e depois de uma boa temporada ausente, o velho sótão voltou ao estado anteriormente encontrado: cheio de pó, de teias de aranha e com ar sombrio. Era esta a situação dum espaço que só Olinda sabia ocupar e com ele se entendia, pese embora, lá de vez em quando, não compreendesse muito bem porque tão facilmente se desarrumasse.

 

O sol que entrava pelas frinchas do telhado, vinha esmaecido, sem força e sem vida, acentuando-lhe aquele ar pesado que causava aspecto de abandono, tal como antes acontecia. Os caixotes bem arrumadinhos e limpos, começavam a ser corroídos pelo bicho da madeira que entretanto ali tivera penetrado, até as famigeradas vespas encontraram espaço e ambiente para se instalarem à sua maneira sem qualquer dificuldade, tal era o estado de degradação a que tinha chegado o pobre sótão. Era uma lástima

 

Adivinhava-se que, quando Olinda voltasse, iria ter um ataque de nervos com a surpresa da presença de novos habitantes naquele sótão, pois em vez deles, melhor seria que por ali circulasse ar fresco vindo do Oriente fazendo germinar ideias novas, motivações fortes que dessem inspiração a um projecto de grande envergadura, ou quem sabe o desenvolvimento dum facto amoroso que entretanto ali se acolhesse no desfrute dum belo prazer, com alguma privacidade, claro.

 

O regresso de Olinda não se fez esperar e cedo se apercebeu que não seria fácil o enriquecimento daquele espaço, porque o velho sótão era um lugar de tamanho irregular, onde qualquer indício de renovação, ou inovação, podia colidir com as suas fronteiras naturais e obstruir o florescimento de novas ideias, o que obrigou Olinda a recorrer a outra parte de casa onde um novo projecto pudesse crescer e o seu espírito conseguisse um pouco de paz.

 

 

 

HARMONIA DOS CONTRÁRIOS

 

 

 

Como nos vemos e nos aceitamos

Como nos distinguimos

e nos amamos

Numa mistura de fel e mel

Sabor agridoce da pele

Amor perdido na idade

Sumo vivo da humanidade

Como nos amamos corremos

e saltamos

Como fugimos e nos encontramos

dentro do nosso descontentamento

Como somos levados no vento

E no vendaval nos encontramos

 

 

Como somos e nos propomos

ao deslize

Como nos encontramos depois

no afastamento

Como somos, nos erguemos

e padecemos

Num abraço de entendimento

 

 

Como somos e nos inquietamos

Mas só depois… nos aceitamos

 

Paxiano

 

 

 



publicado por Luis Moreira às 16:00
link do post | comentar | ver comentários (2)


EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
I recebeu um empréstimo em um notável credores, ho...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
Recebi um empréstimo de um credores excepcionais, ...
Para a sua atençãoMais preocupação por seus proble...
Carlos Loures a Anália já aqui disse tudo. Ter em ...
Caro Carlos Loures, Obrigada pela sua resposta. Es...
Agradeço o seu depoimento. Só agora respondo porqu...
Tanto quanto soube recentemente, foi o próprio Car...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

Palavras Interditas - por...

SÓTÃO DESARRUMADO Parte ...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links