Domingo, 16 de Janeiro de 2011
Diderot e Spencer – dois fundadores da Antropologia


 

Raúl Iturra

 

 

 


 

 

Denis Diderot (5 de Outubro de 1713 – 31 de Julho de 1784) foi um filósofo francês e editor em chefe do histórico que levou a produzir L'Encyclopédie(1751 - 1766). A primeira publicação foi em 1751-1766, revista em 1772, 1777 e 1780. Escreveu este texto que diz: não há ser humano que tenha recebido da natureza o direito para dar ordens aos outros.

 

A Liberdade é uma dádiva do céu, todo indivíduo da mesma espécie tem o direito dar usar enquanto tenha uso de razão. O original está em inglês e diz:

 

No man has received from nature the right to give orders to others. Freedom is a gift from heaven, and every individual of the same species has the right to enjoy it as soon as he is in enjoyment of his reason.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Herbert Spencer, filósofo e sociólogo dos mais notáveis da Inglaterra, nasceu em Derby (27 de Abril de 1820) e morreu em Brighton (8 de Dezembro de 1903). Herbert Spencer (1820-1903) foi conhecido como um dos pioneiros do Darwinismo Social do Século XIX. Filósofo inglês, recusou a oferta de estudar na Universidade de Cambridge, ganhando mais saber de ensino superior por meio das suas próprias leituras. Como darwinista social, colaborou para que a teoria do evolucionismo fosse aceite pelo mundo social fundamentando essa a sua batalha através do seu ensino e dos seus livros O principio evolutivo baseava-se na ideia de que todo mudava das formas mais simples as mais complexas. Foi Herbert Spencer quem, de facto, cunhou a frase da sobrevivência do mais forte ou survival of the fittest, noção que desenhava ou indicava uma luta permanente entre as espécies. O resultado foi aplicar a ideia ao facto de que a espécie mais forte ganhava e se multiplicavam e as mais facas, desapareciam ou pereciam. A sua obra Synthetic Philosophy aplicou o processo evolutivo a todos os ramos do conhecimento, especialmente a biologia, psicologia, sociologia e ética. Fonte: Le darwinisme social, em http://www.nd.edu/~rbarger/www7/spenser.html .Apesar do darwinismo é uma teoria geral que refere ou define a evolução de todas as espécies vivas, o Darwinismo social da Spencer é apenas uma aplicação sociológica do darwinismo que diz respeito só a evolução interna da espécie humana.

 

 

O darwinismo social afirma que a competição, a luta pela vida, afecta o interior da espécie humana, aos diferentes grupos sociais que a compõem – familiar, étnicas, grupos estáticos – de tal maneira que se originam hierarquias, resultado de uma criação de uma selecção social, que permite importar para dentro do grupo, o melhor que há em eles. Para Spencer, todos os grupos sociais em concorrência, retiram o mais fraco de um grupo que possa assim beneficiar aos seus concorrentes.



publicado por João Machado às 15:00
link do post | comentar

1 comentário:
De augusta clara a 16 de Janeiro de 2011 às 17:11
Herbert Spencer, embora tendo cunhado a frase "sobrevivência do mais forte" que, depois, Charles Darwin veio a adoptar, o que fez foi aplicar abusivamente, à esfera social, a teoria do seu primo (Spencer e Darwin eram primos), que tinha exclusivamente a ver com a evolução orgânica das espécies. Os seus conceitos fluidos e ambíguos - o que significam "o melhor que há em eles" dentro de um grupo? A que esfera do tal "interior da espécie humana"? Como se podia medir, no tempo de Spencer, esse "interior" sem ser o orgânico? - provaram bem qual era o objectivo desta rapina teórica de um trabalho que tinha engrandecido a ciência, neste caso a Biologia, a ponto de o próprio Marx ter querido homenagear Charles Darwin, propondo-lhe a dedicatória de um volume de "O Capital". O objectivo era nem mais nem menos o que vem expresso na última frase do texto aqui publicado hoje: "Para Spencer, todos os grupos sociais em concorrência, retiram o mais fraco de um grupo que possa assim beneficiar aos seus concorrentes". E quem duvida, sabendo-se que este conceito de mais fraco enferma da total ausência de objectividade científica que possuía na teoria de Darwin, de que o darwinismo social não foi mais do que a semente que as correntes mais conservadoras lançaram à terra e que levou, ao longo das décadas, ao neoliberalismo contemporâneo, causa da enorme discriminação social e do caos em que o mundo se encontra?


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
I recebeu um empréstimo em um notável credores, ho...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
Recebi um empréstimo de um credores excepcionais, ...
Para a sua atençãoMais preocupação por seus proble...
Carlos Loures a Anália já aqui disse tudo. Ter em ...
Caro Carlos Loures, Obrigada pela sua resposta. Es...
Agradeço o seu depoimento. Só agora respondo porqu...
Tanto quanto soube recentemente, foi o próprio Car...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links