Quarta-feira, 18 de Agosto de 2010
Valor económico poupa Pinhal Interior

Luís Moreira


Olhe-se com atenção para o mapa aí em cima, e fácil será constactar que os médios e grandes fogos se concentram no Norte e junto ao mar,(Noroeste) poupando quase inteiramente o interior, as Beiras, O Alentejo, o Algarve. Deve-se a quê esta concentração de fogos?

Ouçamos os especialistas: tal se deve ao maior reconhecimento do potencial económico pelas populações que dependem da floresta.Paulo Fernandes,investigador do departamento de Ciências Florestais e Arquitectura Paisagista da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, descarta que o Pinhal Interior esteja a ser beneficiado por uma meteorologia mais clemente. O Pinhal Interior teve muito menos ignições do que no Noroeste.Castelo Branco e Santarém tiveram duas ignições enquanto Aveiro teve dezasseis.O Porto registou dezanove ignições. Este estudo foi feito a partir de Julho por cada dez Kms quadrados.

Helena Freitas, directora do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, tambem lembrou que em 2003 e 2006, último período chocante e desastroso para a região Centro."Ao contrário do que acontece no Noroeste, o Pinhal Interior tem hoje uma percepção do valor económico da floresta que os levou à criação de mecanismos de prevenção".A Região Centro tornou-se mais apetecível para a biomassa, ao passo que no Norte o estado de abandono é gravíssimo. Por exemplo a Lousã e Oliveira do Hospital têm uma zona de intervenção florestal "bem instalada e activa".

A população do interior olha para a floresta como origem de provimentos para a sua vida, vivem da floresta e isso muda tudo. Para Joaquim Sande da Silva, investigador em fogos florestais, a diferença está no trabalho de prevenção e "não que já tudo tenha ardido e daí não arder mais" e," a vegetação recupera depressa, de tal forma que o que ardeu em 2003 já hoje está pronto para arder".

Não há dúvida que só uma fileira económica da floresta, interessando proprietários, indústria, autarquias e estado poderá contribuir decisivamente para acabar com os fogos!


publicado por Luis Moreira às 13:30
link do post | comentar

3 comentários:
De Joao Machado a 18 de Agosto de 2010 às 14:24
E o fogo na Serra da Estrela, Luís? No Alentejo e no Algarve parece que também não há muitos incêndios.


De Carlos Mesquita a 18 de Agosto de 2010 às 19:15
Talvez sejam conclusões apressadas, a vaga deste ano nada tem a ver com os 16 dias seguidos de 2003. O pinhal e eucaliptal quando bem manobrados como fazem as indústrias de celulose só arde com fogo de copa, precisa de condições meteriológicas especificas e é devastador e de difícil controle; quando isso suceder precisam de ter espaço e acessos entre os milhares de hecteres plantados, coisa que não existe em muitas zonas de pinhal. Mas a razão fundamental para o sucesso da prevenção é o envolvimento das populações, faz toda a diferença, isso existe pelos vistos no Pinhal enquanto nos Parques Naturais as pessoas e os seus animais estão a ser escorraçados. Escrevi sobre isso ontem para outro destino, cedo os "direitos de publicação" no fim-de-semana.


De António Gomes Marques a 18 de Agosto de 2010 às 22:45
Eu e as minhas irmãs somos proprietários de duas pequeníssimas áreas no Pinhal Interior, Concelho de Góis, Freguesia de Alvares. Em 2000 o fogo quase fez desaparecer todo o pinhal e eucaliptal existente na Freguesia, chegando mesmo a queimar uma casa na minha aldeia, Chã de Alvares, tendo-me obrigado, dado ter coincidido com a minha estada ali, a levar a família para Pedrógão Grande e Pedrógão Pequeno por só ali ter conseguido alojamento para alguns dos membros da família, ficando os restantes a dormir no carro.
A Câmara Municipal de Góis, sobretudo a partir desta data, tem tido um comportamento exemplar na prevenção, nem sempre compreendida pela população quando lhes cortam uns ramos de alguma árvore. A Associação Florestal de Góis também tem tido um excelente comportamento nessa prevenção. Neste momento, com o acompanhamento destas entidades, estamos a tentar formar uma ZIF na freguesia de Alvares de modo a podermos contribuir, em conjunto, para a limpeza do pinhal e eucaliptal, aproveitando o produto desta limpeza para a biomassa de que o Luís Moreira fala. Esta ZIF é fundamental, embora ñem todos os proprietários estejam a compreender a sua necessidade, parecendo-nos ser este o caminho a seguir em todo o país.


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
OláEu sou Ibrahim Mohammed do Emirado árabe unido,...
Eu sou um disposo privada de um fons de that em ro...
Eu sou um disposo privada de um fons de that em ro...
Potrebuješ pôžičku? Máte nízke kreditné skóre a ne...
Atenção; Você é um homem de negócios ou uma mulher...
Viveu bastantes anos em Portugal, mais precisament...
Empréstimo e InvestimentoOlá a buscar um empréstim...
No dia 08/01/1974, faleceu o furriel Zeca Rachide,...
Cheguei aqui pelo link no blogue O Cantinho da Jan...
Apply now for all kinds of loans and get it urgent...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links