Segunda-feira, 16 de Agosto de 2010
Notas de cêntimo (3)
Carlos Mesquita

Perigo nuclear. Há gerações que vivemos com medo do nuclear, demos-lhe nome e apelido – “ameaça nuclear” – do receio fizemos nome próprio; Ameaça. Perante ela exigem-se cautelas, fica-se de atalaia aos sinais de perigo. Desde a detonação da primeira bomba atómica sobre o Japão, visto o rasto de destruição e terror que causaram, que a humanidade teme ser atingida pela libertação de energia nuclear e pela poluição radioactiva. Assistimos à escalada armamentista dos dois blocos durante a guerra-fria, vimos proliferar o arsenal nuclear por outros países que se tornaram por isso potências militares. Duas gerações ainda vivas presenciaram os momentos de crise internacional em que o Mundo esteve perto de se digladiar com armas nucleares. Quando após a queda do muro de Berlim, se pensava irmos viver com mais acalmia, soube-se que não havia controle sobre parte dos arsenais espalhados pelas republicas da ex União Soviética, e que a desordem no próprio exército russo, punha em causa a segurança dos meios militares que utilizam energia atómica. Como fabricar engenhos nucleares deixou de ser segredo, aumenta o número de países com capacidade tecnológica para enriquecer os combustíveis necessários, e alguns deles parecem dispostos a resolver problemas regionais com o recurso a essas armas. Não estamos mais seguros que durante a guerra-fria, ninguém sabe se o próximo conflito será na zona do Paquistão, das Coreias ou no Médio Oriente, mas há ameaças latentes nessas regiões do mundo e outras poderão ser acrescentadas nos anos vindouros.

Outros perigos nucleares. Em 1986 aconteceu Chernobyl, um acidente numa central de energia nuclear. O perigo de desastre numa central, que mobilizou milhares de militantes contra o nuclear, principalmente desde os anos sessenta, ocorreu na Ucrânia. Foi o maior acidente do género na história, sete mil pessoas morreram, meio milhão continuará a sofrer os efeitos do desastre durante gerações. A radioactividade (200 vezes as das bombas de Hiroshima e Nagasáqui) atingiu mais de 100 mil quilómetros quadrados da Ucrânia, Bielorrússia e Rússia, contaminando solos e águas. Inutilizou milhares de hectares de terra e atingiu centenas de milhar de hectares de floresta. É parte dessa floresta que agora arde na Rússia. Os incêndios florestais que ocorrem desde o mês passado atingiram, segundo as notícias, quatro mil hectares de área poluída pela radiação de Chernobyl. Os ventos poderão levar cinzas radioactivas resultantes dos incêndios a outras regiões do país ou até a países vizinhos. Dezanove anos após o acidente, quando o mundo descansava acreditando que o sarcófago de Chernobyl tinha a ameaça controlada, soa o alarme, a radioactividade uma vez libertada fica connosco durante muitas gerações.


publicado por Carlos Loures às 11:00
link do post | comentar

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Olá Sr. / Sra.Você precisa de empréstimos para o p...
HOLA...¿NECESITA PRESTAR DINERO PARA PAGAR CUENTAS...
Bom-dia Senhoras e Senhores.Sou uma mulher de negó...
Sou uma mulher de negócio Portuguesa e ofereço emp...
Dude, if you were trying to sound portuguese let m...
Olá Andreia! Sei que esta publicação já é antiga. ...
Patricia Deus vai abençoar você e sua empresaMeu n...
Meu nome é Fábio João Pedro e eu sou de Portugal. ...
Meu nome é jose matheus Giliard Alef sou do brasil...
Bom dia a todosMeu nome é Damián Diego Alejandro, ...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links