Quarta-feira, 25 de Agosto de 2010
Suscitar a reflexão
António Mão de Ferro


A necessidade de saber e a curiosidade são características do ser humano. Senão houvesse desejo de saber, a aprendizagem seria mais difícil. Quando as explicações dadas pelos sistemas de ensino não suscitam questões, quando tudo parece muito claro, quando não há o desejo de fazer perguntas, as coisas tornam-se aborrecidas.

A reflexão surge mais facilmente quando se sente a necessidade de dar respostas. Suscitar essa necessidade é dar um objectivo às sessões de formação. Para que isso aconteça torna-se necessário que as teorias tenham relação com o trabalho desenvolvido. Quando se fizer a analogia das teorias com os problemas surgidos nas organizações, facilmente as pessoas terão vontade de pôr questões e aprofundar melhor os assuntos.

É  por isso fundamental que a formação se apoie em actividades que estimulem o pensamento e a troca de ideias com interesse para a prática do participante. Quando se abordam assuntos que fazem sair as pessoas das suas zonas de conforto, podem surgir conflitos e discussões mais acaloradas. Se isso acontecer, cabe ao formador a responsabilidade de as transformar em momentos que ajudem o grupo a crescer, procurando sempre que a troca de pontos de vista, não se tornem num inferno, com insultos e zangas entre os participantes, pois isso perturba o equilibrio das pessoas e o funcionamento das equipas.

Os pontos a tratar devem fazer sentido, para que as conversas não se tornem estéreis. O adulto gosta que lhe exijam mas que a exigência seja realista. Quando isso não acontece fecha-se na “concha”, não se expõe e pode mesmo tornar-se num contestatário

É importante que a aprendizagem se desenvolva de acordo com a realidade objectiva em que o grupo actua ou realiza a sua acção. Se isso acontecer e o participante mais facilmente reconhecerá que os conhecimentos adquiridos contribuem para o sucesso da sua actividade, a formação tornar-se-á mais credível e haverá um maior desejo de reflectir.


publicado por Carlos Loures às 22:30
link do post | comentar

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Bom-dia Senhoras e Senhores.Sou uma mulher de negó...
Sou uma mulher de negócio Portuguesa e ofereço emp...
Dude, if you were trying to sound portuguese let m...
Olá Andreia! Sei que esta publicação já é antiga. ...
Patricia Deus vai abençoar você e sua empresaMeu n...
Meu nome é Fábio João Pedro e eu sou de Portugal. ...
Meu nome é jose matheus Giliard Alef sou do brasil...
Bom dia a todosMeu nome é Damián Diego Alejandro, ...
Olá a todosEu sou Tainara izabella paola e sou da ...
Bom dia. Meu nome é Giovana Verônica Raiane. Eu so...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links