Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010
No próximo dia 3 de Janeiro, uma nova série de José Brandão:
Cronologia da Guerra Colonial



Guerra Colonial Portuguesa (Guidage Maio 1973)
Enviado por Verdegaio. - Temporadas completas e episódios inteiros online.

tags:

publicado por Carlos Loures às 18:00
link do post | comentar

9 comentários:
De Luis Moreira a 29 de Dezembro de 2010 às 18:10
Uma dor para quem lá andou, um rebate de consciências para quem, felizmente, se livrou daquele terror.


De José Brandão a 29 de Dezembro de 2010 às 18:20
Excelente a ideia do video.
Obrigado Carlos e Verdegaio.


De augusta.clara a 29 de Dezembro de 2010 às 18:34
O rebate de consciências não é para quem se livrou,Luís, é para quem ordenou esta guerra e para quem deixou atirados para o lado todos os que lá deixaram bocados de si. Uma ignomínia completa o comportamento dos poderes para com os que de lá vieram com a saúde do corpo e da alma arruinada. Nunca será demais lembrá-la às gerações actuais. Obrigada por isso José Brandão.


De Luis Moreira a 29 de Dezembro de 2010 às 19:53
É um belo trabalho do José Brandão.O vídeo é muito bom.Pois, é Augusta, as consciências da ignomia de quem tornou possível aquela guerra injusta e as dos que agora se esqueceram daqueles que vão sofrer até ao fim da vida por lá terem estado.


De adão cruz a 29 de Dezembro de 2010 às 22:48
Fiz este trajecto penoso, mais do que uma vez, entre Binta e Guidage, mas em 1967. Eram aquartelamentos que faziam parte do meu batalhão. De uma das vezes, a coluna em que eu seguia demorou cerca de sete horas para fazer vinte quilómetros, por causa dos atascamentos. Nesse dia fomos atacados por um enxame de abelhas selvagens. Para quem não sabe, tal ataque era mais temido do que uma emboscada. Para além de consequências menos graves, tive um soldado com um choque anafiláctico que quase me ia morrendo. Tenho fotos dessa terrífica viagem. Encontrava-se nessa altura em Guidage a comandar o pelotão, o meu grande amigo alentejano alferes Barrulas que aí sofreu vários ataques. Num desses ataques, estando eu em Bigene, via os clarões ao longe, com o coração nas mãos, e comentava para os meus companheiros "pobre Barrulas, coitado". Encontrei-o anos mais tarde numa festa do Avante e abraçámo-nos longamente.


De Luis Moreira a 29 de Dezembro de 2010 às 23:15
É, nas situações dificeis que se cimentam as grandes amizades e até a admiração por camaradas.Tenho um amigo da minha escola primária que a partir das 15 h já não sai de casa, viu o que não suporta, aqui na Guiné.


De augusta.clara a 30 de Dezembro de 2010 às 00:07
Conheço mais assim,Luís,gente que me dizia respeito. Cortaram-lhes a vida.


De Anónimo a 30 de Dezembro de 2010 às 17:36
"Muitos" pensam que a bravura na Guiné, só fez "estória" em 1969. Assim não aconteceu, assim testemunhei que as dores, permaneceram por muito mais tempo e acredito, continuam dentro de todos os homens que por lá passaram, independentemente do ano da sua missão e obrigação com Portugal.
Furriel Miliciano - Mecânico-auto em Bissau, 72/74. Em 1973, fiz parte da equipa de mecânicos auto e de armamento que saíram do BSM-Bissau (junto à Amura), com destino Guidage. Objectivo: registar todos os destroços encontrados no perímetro com inicio no rio Cacheu e acabava na fronteira Norte compreendida entre, Barro, Bigene e Guidage e Farim.
O que encontrei e passados poucos anos (mesmo com rendição), foi humanos estropiados de tudo, cacos sem alma, bocados de si onde já não acreditavam no regresso, escondidos em buracos, olhavam sem destino os horizontes de material danificado. O que vi, o que todos nós vimos, foram soldados, ops.. quase humanos, desgastados de tudo o que passavam, mesmo alguns anos depois.
Depois do 25 de Abril, todo o material danificado voltou para Portugal primeiro do que eu e o meu pelotão.
O equipamento, auto e armamento em bom funcionamento, ficou na "Província" da Guiné.
Regressei em Setembro no barco Niassa. Passei à disponibilidade em Dezembro de 1974.

Obrigado a todos os que aqui pintam a sua alma, a parte da alma com dores e parte pior.. com feridas.

Sepol Om


De Luis Moreira a 30 de Dezembro de 2010 às 20:10
Obrigado, pelo seu testemunho.


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
HOLA...¿NECESITA PRESTAR DINERO PARA PAGAR CUENTAS...
Bom-dia Senhoras e Senhores.Sou uma mulher de negó...
Sou uma mulher de negócio Portuguesa e ofereço emp...
Dude, if you were trying to sound portuguese let m...
Olá Andreia! Sei que esta publicação já é antiga. ...
Patricia Deus vai abençoar você e sua empresaMeu n...
Meu nome é Fábio João Pedro e eu sou de Portugal. ...
Meu nome é jose matheus Giliard Alef sou do brasil...
Bom dia a todosMeu nome é Damián Diego Alejandro, ...
Olá a todosEu sou Tainara izabella paola e sou da ...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links