Segunda-feira, 4 de Outubro de 2010
Dia Mundial do Animal -A Maia
Fernando Moreira de Sá


Eu sou um privilegiado: sempre tive cães e gatos. Quer dizer, sobretudo no caso dos gatos, ter não é a palavra certa, conviver ou partilhar espaço quando muito. A estes se juntaram, num determinado período da minha vida a Anastácia, uma galinha de estimação da minha irmã. Foi oferecida ao meu Pai com fins gastronómicos e acabou por passear no nosso quintal durante sete longos e bons anos até morrer de morte natural, isto nos idos de oitenta. Por essa altura surgiram, também, dois hamsters que duraram enquanto o meu gato, através de mil e uma artimanhas, os não conseguiu levar a morte macabra.

Quando casei estive pouco mais de um mês sem bicharada mas as saudades, de ambos, de ter bicharada era tal que lá adoptamos dois gatos, o Dragão e o Rissol. Mais tarde, desaparecidos estes, recebemos a Pipoca, à qual se seguiu a Bolacha, duas cadelas às quais se juntou um gato, o Tico e recentemente, mais uma cadela, a Maia. Ou seja, no momento em que escrevo estas linhas, coabitam em ambiente familiar, três cadelas e um gato. Sendo este capado e o agregado familiar composto por uma filha, a minha mulher, a minha mãe e a minha sogra, direi que sou, ainda, o único exemplar do género masculino “intacto”.

Será que podia viver sem a presença de animais? Poder podia mas não seria a mesma coisa, imitando aquele anúncio publicitário. Eles não são apenas mera companhia ou uma distracção. Não, não é assim que os vemos. São membros da família mais chegada e isso chega e sobra para os definir.

A última a chegar foi a Maia, uma cadela abandonada com dois meses e um historial complicado de abandono, tentativa de afogamento e outros crimes hediondos tão típicos da má formação de boa parte dos portugueses – a forma como lidamos com os animais diz bem do estado civilizacional em que estamos. A Maia pertencia a uma ninhada de sete cadelas que foi cruelmente abandonada, sem a mãe, num matagal junto a um prédio de Moreira da Maia e carinhosamente bem tratada, assim como as suas irmãs, por alguns dos moradores desse edifício. Através de uma campanha espontânea que envolveu a imprensa e as redes sociais conseguiu-se encontrar pessoas dispostas a adoptar as cadelas. Uma delas foi a Maia, a mais recente na família.

Hoje, passado pouco mais de um ano, a Maia está uma senhora cadela de porte atlético, cada vez mais bonita e meiga e é, sem dúvida, especial. Seja pela forma como se relaciona com a restante bicharada cá de casa quer, sobretudo, a forte ligação que a une à nossa filha. A ela e ao meu carro, o qual já se viu privado do sensor do ABS, do ESP e de um cabo de travões!!!

Meus caros, neste dia especial, em que tanto se fala dos animais, permitam-me que lembre uma espécie de animal que anda por aí, no meio de nós. Uma espécie nada rara e que convém combater com todas as nossas forças e denunciar com toda a veemência: as bestas que envenenam, atropelam de forma propositada ou abandonam os animais. A esses seres abjectos, neste dia especial, quero enviar-lhes uma mensagem de paz e carinho: que sempre que envenenem/afoguem/abandonem um animal indefeso sejam brindados com uma qualquer doença bem dolorosa que lhes provoque destino idêntico ao que condenaram os animais.


publicado por Carlos Loures às 19:30
link do post | comentar

1 comentário:
De augusta.clara a 4 de Outubro de 2010 às 19:38
Que grande abraço que eu tenho para si, Fernando Moreira de Sá. Eu que tenho os meus sofás todos rotos mas não me importo nada. Antes queria ficar sem eles do que sem os meus dois gatos.E desejo o mesmo a essa gente miserável que faz as maiores tropelias aos animais por puro prazer e divertimento.


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
No dia 08/01/1974, faleceu o furriel Zeca Rachide,...
Cheguei aqui pelo link no blogue O Cantinho da Jan...
Apply now for all kinds of loans and get it urgent...
Sou do Bat. Caç. 4613/72 que foi para Angola em fi...
Aí meu Deus eu tenho um pavor a esses bichos! Un d...
ei pessoal do bat cav 1927 e ex combatentes boa pa...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
I recebeu um empréstimo em um notável credores, ho...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
Eu fiz uma descoberta que eu gostaria de compartil...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links