Segunda-feira, 27 de Setembro de 2010
Febres de São Tomé
Ethel Feldman

1

Veio do mar aquele que um dia roubou um pedaço de mim. Parti sem saber meu destino.

- Dona este é o caminho da Boa Morte.

- E depois, Manuel?

- Dona, depois é o cemitério de São João.

- Me deixe ficar por aqui Manuel, se boa é a morte.

- Dona, o doutor vai saber que malária é essa que lhe morde a alma.

Entre o hospital da cidade de São Tomé e a casa de Daio não sei o que aconteceu. Ouvi o médico cubano segredar que o meu mal só ocupava lugar. Na esquina da dor quase atravessei a morte. Veio do mar quem me roubou existir.

Encarregaram a Daio o meu destino.



2

Na ilha, na casa de Jesus Nosso Senhor, há uma porta de entrada e outra de saída. Tão perto uma da outra – por vezes quem entra esbarra em quem sai. Entrei na casa de Deus - saí em busca de um atalho.

As estradas de São Tomé apodrecem – o alcatrão luta contra os buracos.

- Dona – cuidado! Maria deitou-se com José, veja só o pecado...

Quem me mandou sair do santuário?

- Se aquiete homem, também me deito com Cristo e ninguém me leva ao inferno...

- Dona – cuidado!

As estradas de São Tomé morrem devagar – preguiçosas.



3

Desço a rua do Quilombo, viro à direita, passo o Papa-Figo, para trás um horizonte perdido. Na minha frente, o mar. Daio está no Passante

- Branca, branca....

Queria que minha a cor fosse como a de Daio – negra.

- Branca, branca...



4

Procurei em Daio meu amor perdido noutra ilha. Outro tempo. Deixei que a dor encontrasse no meu corpo, abrigo. Alma retalhada tamanho foi o estrago. Vi a malária matar os corpos jovens de São Tomé. Tantos brancos ousaram inventar a sina daqueles que a cor ditou a dor. A branca histérica pregou que o racismo não existe. O preto desviou o olhar - sofreu em silêncio.

- Dona fique por cá...

Os olhos de Daio não mentem. Vejo nele a memória do seu povo. Cada grito calado, cada lágrima contida. Um dia matam todos os africanos.

Quero de Daio a revolta escondida. Lamento constante. Resistencia passiva.

- Dona fique por cá...

Quis de Daio cada carinho roubado. Daio triste olhou o vazio. Procurei uma chama, calor de um tempo passado. Daio triste olhou o vazio.

- Dona fique por cá...

E o que tem essa ilha perdida para além das tristezas vividas?

Não tem passado. Minha geografia – o vazio.

No regresso a casa - Lisboa, quero-te de novo vestida de véu e grinalda!

Mostra-me que também aqui é possivel amar.

Tenho sono. Saudades de São Tomé.


publicado por Carlos Loures às 23:55
link do post | comentar

2 comentários:
De adão cruz a 28 de Setembro de 2010 às 14:18
Sem comentário não ficas, Ethel. Do melhor que aqui escreveste. Lindo, original e com muito cheirinho a África, onde a humanidade guarda a sua parte mais pobre e mais sã.


De augusta.clara a 28 de Setembro de 2010 às 14:40
E a sua origem. Desculpa,Ethel que eu já tinha lido ontem e tinha gostado muito. Invadimos-te a outra casa e...pronto, lá ficaram os comentários na gaveta.


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
bom dia meu tio de nome joao da cunha fernandes da...
Sou James Roland, de Portugal. Alguns meses atrás,...
Oferece empréstimos de dinheiro variando de 5000 a...
Here is a good news for those interested. There i...
oferta para todosOlá, volto para todos os indivídu...
esse dalmaso nao e brasileiro ele deu depoimento e...
Meu nome é Patricia Martins, de Portugal, um pai s...
Dia bom, Meu nome é Laura Pablo, eu quero testemun...
Afinal em que ficamos? Esta coisa do Daflon do Ven...
UPDATE ON LOAN REQUIREMENT If you are in need of ...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links