Sexta-feira, 8 de Outubro de 2010
De olhar atento à beleza
O meu nome é Paulo Rato e sou o mais recente colaborador do Estrolabio. Já vos fui apresentado, mas gostava de ser eu a falar do Paulo Rato. Aqui está:
Nasceu em Janeiro de 1947, céptico, racional e materialista.

De olhar atento à beleza, quotidianamente renovada, das nuvens no céu (mesmo se o cinzento predomina), das incontáveis tonalidades de folhas e ervas, flores e raízes, dos troncos e seus desenhos, nunca iguais; e também da obra dos homens que aprenderam a olhar, a ouvir, a decifrar na pele o passar do vento e o que traz consigo, e se lançam à árdua tarefa de inventar novos sentidos para o que os sentidos captam e, por diferentes vias, com várias ferramentas, recriar o voo do gavião ou, do cavalo (livre, não selvagem) a corrida e o salto e o seu rasto.

Crê que, em boa parte, se lhe aplicam estas palavras, com que Jorge de Sena se resume a si mesmo: "Inquieto e franco, altivo e carinhoso, / Será sempre sem pátria. (...)".

Aprendeu a ler aos três anos, por razões explicáveis, mas não lembradas com minúcia. E nunca mais parou de ler. Doença grave condenou-o a quase cinco anos de longos repousos, intensificando a leitura, sem plano... nem limites. A Biblioteca da casa surge, assim, como uma aventura contínua, de peripécias tão diversas como insolitamente irrequietas nas dobras do espaço-tempo, narrada por incontáveis vozes e suas maneiras próprias.

Entrou no Liceu quase como o "Selvagem" do Aldous Huxley, com quatro anos de realidade roubados da sacola da vida, pesada de saberes desarmónicos e digeridos apenas como o pequeno estômago consentira.

Como referiu o Carlos, não se recorda de alguma vez ter aceitado como "naturais" a miséria e a injustiça.

Mas quando, aos 14 anos, descobriu que vivia numa ditadura, foi a prisão da palavra que mais o indignou e lhe impôs a luta. Decisão tomada, exercitou-se com um rigor também inato: músculos e gestos, já não leituras. Depois, entrou para o PCP. E foi "pré" tudo o que era associação de jovens estudantes (liceus, cineclube,...). Usou alguns dos seus pequenos talentos para desenhar postais para a Comissão Nacional de Socorro aos Presos Políticos e CGTP (mais tarde, para ilustrar caricaturalmente a sua revista) e em traduções.

Por engano, seguiu "Ciências" e é capaz de ser "bacharel" em Engenharia (ou quase). Engano desfeito, alongou o período de visitas à Universidade e adiou-se da tropa, com tanta sorte que chegou ao 25 de Abril como "instruendo" na EPAM...

Entretanto, entrara na Emissora Nacional (assinando alegremente o papelucho do "integrado"+"repúdio", cônscio de que quem não tem honra nem dignidade merece falsas juras, fintas, golpes baixos e o que de pior haja).

E foi assim. Na EN e na RDP, foi técnico, locutor, autor e realizador, documentalista.

Foi activista e dirigente sindical, membro quase permanente da CT/RDP e de várias estruturas organizativas das CTs, membro dos Conselhos de Opinião da RDP e da sequente "SGPS".

Aposentou-se antecipadamente, antes que mais lhe roubassem na "pensão" e no domínio do "seu" tempo de decisão.

Com algum desgosto: chefiava, na altura, o Arquivo Áudio da RDP, que incluía a Discoteca e o Arquivo Histórico; participara em reuniões internacionais e descobrira que a preocupação de resguardar um património (inestimável) registado "em som" era algo de muito recente, que trazia questões aliciantes, pela dificuldade de resolução e a criatividade e empenhamento requeridos, o que os mais destacados oficiantes, a nível internacional, já demonstravam, juntando-lhe aquele grão de aluada loucura, tão característico destas estranhas actividades, quase druídicas; também descobrira que tais oficiantes tinham percursos semelhantes ao seu, com origens académicas (tais matérias eram quase inexistentes ou mesmo de todo ausentes nas Universidades) e profissionais não coincidentes com o documentalismo áudio, mas com bases, interesses e práticas culturais múltiplas e convergentes.

No seu caso, continuava a decidir das aquisições de novos registos fonográficos e a fabricar programas de rádio, aliando a construção do presente à preservação do passado histórico.

O desgosto foi, entretanto, totalmente dissipado pela degradação do sector radiofónico dentro da "Rádio e Televisão de Portugal", pela nulidade da CT em exercício, pela inoperância do Conselho de Opinião (a que foram retirados os representantes dos trabalhadores da empresa) e pela única característica discernível no actual CA - a "lata".


publicado por Carlos Loures às 10:00
link do post | comentar

2 comentários:
De adao cruz a 8 de Outubro de 2010 às 10:59
Bela entrada, Paulo Rato. Bela escrita. Curriculum de liberdade, consciência e verdade. Um abraço


De augusta.clara a 8 de Outubro de 2010 às 11:27
Paulo, agora esperamos boa música como a que nos trouxeste no outro dia.


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Olá Sr. / Sra.Você precisa de empréstimos para o p...
HOLA...¿NECESITA PRESTAR DINERO PARA PAGAR CUENTAS...
Bom-dia Senhoras e Senhores.Sou uma mulher de negó...
Sou uma mulher de negócio Portuguesa e ofereço emp...
Dude, if you were trying to sound portuguese let m...
Olá Andreia! Sei que esta publicação já é antiga. ...
Patricia Deus vai abençoar você e sua empresaMeu n...
Meu nome é Fábio João Pedro e eu sou de Portugal. ...
Meu nome é jose matheus Giliard Alef sou do brasil...
Bom dia a todosMeu nome é Damián Diego Alejandro, ...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links