Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010
A nossa encantadora Natureza - 6, por Andreia Dias
Salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra)




“Biec! Que nojo!” Estarão alguns certamente a pensar…

A verdade é que os anfíbios (e os répteis) não causam tanta empatia entre os humanos como por exemplo, os mamíferos e as aves. Provavelmente o desconhecimento dos exemplares, as tradições e mitos (falsos!) associados a estes animais, elevam a repulsa muitas vezes sentida. Tudo o que seja rastejante e viscoso, pertence a um grupo de animais tradicionalmente excomungados, em que a maioria das pessoas diz “mata!”.



Os anfíbios são muito importantes como controladores de insectos e outros invertebrados. São bons indicadores biológicos e ambientais (necessitam de um ecossistema equilibrado). As grandes indústrias farmacêuticas procuram cada vez mais estes animais pelos compostos químicos presentes na sua pele com propriedades importantes (ex. analgésicos).


Conhecida por salamandra, saramela, saramantiga, ou salamaganta, a sua actividade é quase exclusivamente nocturna e está muito dependente de condições ambientais favoráveis, como humidade relativa elevada, temperatura nocturna ente os 4º e os 14º C e ausência de vento.

As salamandras estão protegidas contra predadores devido à sua elevada toxicidade, segregando substâncias tóxicas através das suas glândulas parótidas e por vezes também arqueando o corpo expondo as glândulas e exibindo a sua coloração, como medida de dissuasão. Alimentam-se de insectos, caracóis, lesmas, centopeias e aranhas.

Ocupam uma grande diversidade de habitats e em Portugal, as populações de salamandra mais vulneráveis, parecem ser as do Sul do país. Está sujeita a dois factores de ameaça principais: a destruição do seu habitat e a introdução de predadores em meio aquático (onde habitualmente de reproduzem). O caso mais representativo desta situação é o lagostim-vermelho-da-Louisiana abundante na região mais ocidental do Alentejo. A erradicação ou pelo menos controlo das populações de lagostim poderá ser a medida de conservação mais eficaz a implementar a curto prazo.

Curiosidades: No Sul de Portugal foi encontrado um indivíduo com 253 mm. (o tamanho médio varia entre 140 – 170 mm).

A longevidade conhecida para esta espécie na natureza é de 20 anos, podendo atingir 50 anos em cativeiro.

Uma crença popular afirma que as salamandras são as primeiras a chegar ao corpo do Homem depois de morto e enterrado. É tido como um animal peçonhento e muitas vezes é morto só por isso, como tantos outros…

Nota: As fotos foram tiradas em Fornos de Algodres.


publicado por Carlos Loures às 16:30
link do post | comentar

19 comentários:
De adão cruz a 22 de Setembro de 2010 às 17:08
Que prazer me dá ler estas coisas lindas...ainda que as salamandras me repugnem, desde criança. Em criança, (nasci e vivi no mais belo berço que pode haver, o campo) toquei e agarrei tudo quanto é bicho, menos salamandras. Que me perdoem, coitadas.
Um beijinho Andreia


De Luis Moreira a 22 de Setembro de 2010 às 17:26
Belo serviço, para conhecermos melhor estes "simpaticos" animais.No outro dia fui a casa do meu filho porque havia lá uma salamandra verde (não deve ser salamandra) o pobre do bicho só queria que lhe abrissem a janela para fugir para o sol.Os citadinos têm dificauldade em lidar com estes animaizinos.


De augusta.clara a 22 de Setembro de 2010 às 18:04
Ó Andreia, eu não vivi no campo mas confesso que esses bichos também me fazem pele de galinha, apesar de terem uma pele linda. Uma beijoca para ti.


De augusta.clara a 22 de Setembro de 2010 às 18:39
É verdade, Andreia, as cobras também eramos nós, sempre as mesmas. Não eram só as bruxas. Agora é que é caso para dizer: graças a Deus eramos tudo. Curioso é que as cobras, a mim, provocam-me uma mistura de atracção e repulsa. O Freud é que sabia interpretar isto :)


De Luis Moreira a 22 de Setembro de 2010 às 18:44
O que se dizia nas aldeia é que as cobras não faziam mal às mulheres os "sardinhões" é que sim, em certos dias especiais privativos das mulheres. Eram as velhas que diziam. tambem diziam: "filho da minha filha meu neto é, do meu filho será ou não" bruxas e cheias de sabedoria...:-)


De augusta.clara a 22 de Setembro de 2010 às 18:55
Razão tenho eu para querer ser cremada. Se as salamandras são as primeiras a chegar...Luís, eu ouvia dizer que eram os lagartos.Dizia-se que as cobras iam, à noite, beber o leite do peito das mulheres que estavam a amamentar. Acho que era assim.


De Andreia Dias a 22 de Setembro de 2010 às 19:10
Eu sabia que iria provocar uns arrepiozinhos... mas este foi só o princípio, digamos que, o aquecimento...Mais uma vez, obrigada pelos vossos comentários que me deixam com tão boa disposição. Os mitos que referem correm o país, e tenho tentado combatê-los de modo às vezes infrutífero. Os que referiram são os mais comuns, e quando tento explicar que as cobras não têm estrutura anatómica na boca, capaz de sugar (para mamarem), dizem-me "mas o meu avô dizia...". Na realidade, as cobras têm hemolinfa com aspecto leitoso e quando as matam, vê-se uma substância leitosa... ora como para o nosso povo, 2+2 são 5, os animais estiveram a beber leite! Mas mais deixo para as publicações das cobras...
Augusta, já viu o nosso poder? Temos realmente esta capacidade inata de sermos tudo... é fantástico sermos mulheres! E quando sucumbimos, não são as salamandras que aparecem... hehehehhe. E a salamandra verde, se estava perto de uma janela prontinha a fugir, não seria uma sardanisca? É que salamandras gostam de zonas húmidas, mas quando for assim, tirem uma foto e enviem-ma :-) Beijinhos


De Carlos Mesquita a 22 de Setembro de 2010 às 19:26
Luis, se fosse em ambiente húmido como diz a Andreia, ou mesmo aquático, podia ser um Tritão verde, com os mesmos hábitos das salamandras durante a reprodução. Dentro de casa duvido, seria um qualquer lagartito ou lagartixa. O mais certo é ser uma osga, que são cinzentas ao natural, e verdes quando envergam o equipamento do Sporting.


De augusta.clara a 22 de Setembro de 2010 às 19:38
Andreia se não me tratas por tu nunca mais te falo. Ah, eu gosto muito de ser mulher e bruxa ainda mais. Um beijinho


De Luis Moreira a 22 de Setembro de 2010 às 20:05
É isso, Carlos é uma osga.A Andreia é tão simpática que eu até já acredito na tal história que por trás de um sapo há um principe...


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Sou James Roland, de Portugal. Alguns meses atrás,...
Oferece empréstimos de dinheiro variando de 5000 a...
Here is a good news for those interested. There i...
oferta para todosOlá, volto para todos os indivídu...
esse dalmaso nao e brasileiro ele deu depoimento e...
Meu nome é Patricia Martins, de Portugal, um pai s...
Dia bom, Meu nome é Laura Pablo, eu quero testemun...
Afinal em que ficamos? Esta coisa do Daflon do Ven...
UPDATE ON LOAN REQUIREMENT If you are in need of ...
Olá, sou ivani suarez, atualmente morando em santi...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links