Segunda-feira, 18 de Outubro de 2010
Orçamento, ir à missa de capacete.
Carlos Mesquita

A Igreja de Sto. António de Campolide tem um bom publicitário de batina, aproveitou o momento dos cortes orçamentais para exigir obras no templo ao ministério das Finanças. Vieram fiéis, alguns de fora, compraram uns luzidios capacetes brancos e montaram a cena para as televisões. O espectáculo resultou, contaram a história ficou a reivindicação. Iniciativa criativa da Igreja, que percebe e usa o tempo da mediatização. Pertence à Igreja a melhor campanha de publicidade de sempre, o Natal, e o mais reconhecido logótipo, a Cruz, que deixa o símbolo do Sandeman envolto numa capa negra.

Mas desta vez tem de ir para a bicha dos pedintes, antes estão os polícias, os magistrados, os professores, os autarcas, os banqueiros, a classe média e todos os boys e ladies que dependem do Estado. Desta vez o orçamento é de descascar pessegueiro, ninguém fica completamente de fora, se não cortam nos vencimentos pagam no cabaz de compras, na energia, nas alcavalas de mais impostos e taxas. Parece democrático, (mesmo com casos como o do MAI de ter inscrito mais despesa com os governos civis) mas não é. Quando atinge rendimentos baixos, no limite em que vale a pena sair de casa para ir trabalhar, já não há razões financeiras que justifiquem a austeridade.

O orçamento de Estado, como se sabe, não é um orçamento, é uma campanha de marketing que pretende convencer quem nos empresta dinheiro, a não nos cortar o crédito. É apenas isso.

As medidas correspondem a cortes de efeito imediato, o mais importante, as outras com resultados estruturais não são possíveis elaborar neste curto espaço de tempo; nem se sabe se haverá algum dia, vontade política para as conceber, ou algum consenso na nossa sociedade que o permita.

O tempo escasseia, daqui a um ano o francês Trichet abandona a liderança do BCE, o mais provável é ser substituído pelo governador actual do Bundesbank, Axel Weber, que defende que o banco central não compre as obrigações emitidas pelos Estados europeus. Refiro isto, porque numa altura em que se anda a ver as implicações do orçamento, numa família com rendimento x e 2 filhos e renda de casa e comida para o cachorro e etc.; a politica monetária europeia vai muito provavelmente sofrer uma inflexão que tornará os países do euro com dificuldades financeiras em párias da União. Com o alemão Weber que defende (como a maioria dos alemães) que o BCE comprando a divida dos Estados encoraja a indisciplina nas finanças públicas e que entende que o único papel do Banco é manter o controle de inflação, teremos subida dos juros que provocarão um desastre pior que qualquer orçamento.

Os nossos economistas têm dito que não é possível política restritiva e ao mesmo tempo apostar no crescimento económico, Daniel Beça após a proposta de orçamento escreveu no Expresso que o que anda a ensinar na faculdade talvez esteja errado. Paul Krugman que já vi aqui muito citado, explicou em Abril que a dívida dos EU após a guerra que era 113% do PIB nunca foi paga, foi reduzindo por aumento do PIB durante décadas, caindo em percentagem até 33% em 1981. Ele diz que isso é impossível na Grécia por causa do Euro. Será o mesmo aqui, com a opção recessiva e cortes no investimento que poderia gerar crescimento económico.

Na minha terra há uma discoteca chamada “Àmissa-bar”. Vão à missa!


publicado por Carlos Loures às 11:00
link do post | comentar

2 comentários:
De Maria Monteiro a 18 de Outubro de 2010 às 12:48
Pois é... os fiéis e o padre podiam ter aproveitado a visita de Bento XVI e ido de capacete para a missa no Terreiro Paço. Tinham as televisões de todo o mundo à sua disposição e... até podia ser que se lembrassem o quão absurdo foi os rios de dinheiro que se gastaram em tudo e mais alguma coisa....


De augusta.clara a 18 de Outubro de 2010 às 15:51
Essas das ladies que vivem à conta do Estado é comigo?


Comentar post

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
oferta para todosOlá, volto para todos os indivídu...
esse dalmaso nao e brasileiro ele deu depoimento e...
Meu nome é Patricia Martins, de Portugal, um pai s...
Dia bom, Meu nome é Laura Pablo, eu quero testemun...
Afinal em que ficamos? Esta coisa do Daflon do Ven...
UPDATE ON LOAN REQUIREMENT If you are in need of ...
Olá, sou ivani suarez, atualmente morando em santi...
Olá Sr. / Sra.Você precisa de empréstimos para o p...
HOLA...¿NECESITA PRESTAR DINERO PARA PAGAR CUENTAS...
Bom-dia Senhoras e Senhores.Sou uma mulher de negó...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links