Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010
Uma classe política que se despreza
Luis Moreira


Muita gente ainda pensa que Alberto João o Presidente da Madeira é um tipo próximo do palhaço, ou de quem roça o rídiculo ou mesmo a má educação. É, óbvio, que não é nenhuma dessas coisas. É um político com um apurado sentido das forças em presença e usa as fragilidades do adversário em proveito das suas posições. Na maioria das vezes sente-se que o Presidente da Madeira tem um profundo desprezo pela classe política nacional. Soube hoje que moveu uma acção em tribunal contra um adversário político, por uma frase escrita num blogue, há, portanto, quem pense dele o mesmo e, os caciques que monopolizam a economia da Madeira, sendo todos da sua cor política, também não abonam a sua transparencia.

Esta sensibilidade acentua-se e generaliza-se. Vejam a posição tomada pelo Presidente dos Açores, perante o anunciado corte nos vencimentos dos funcionários. Não corta nos vencimentos e é tudo legal, transfere umas massas que tinha para abrir uns caminhos e paga ao pessoal. A legalidade do acto ainda acentua mais o desprezo que lhe merece quem, ao nível central, lhe deu tão íniqua ordem! Soube-se por estes dias que os funcionários que vão ser poupados ao esforço pedido a todos são os boys de César, são os que ganham mais, chefes de divisão, sudirectores, directores...



Vejam o que se passa na Caixa Geral de Depósitos. Veio o seu Presidente com uma mentirinha que faria corar uma donzela. Fogem os quadros se concretizar a ordem do governo. É, claro, que não fogem nada. Os que podiam fugir, por terem dado provas , já estão na primeira linha e estão a fazer lugar para irem para a reforma, os de segunda linha estão à espera que os de primeira linha saiam para lhes ficarem com os lugares e, daí para baixo ninguém os quer. A declaração pública de desautorizar o governo tem um nome. Desprezo!


Agora, temos a PT, a tal de interesse nacional que o governo defendeu com a célebre golden share. Acabou por fazer tudo o que os seus sócios privados quiseram que fizesse. Não contentes, anteciparam a distribuição das mais valias do negócio para, com isso, desviarem do Fisco milhões de euros. Como não concordam com o corte dos salários decidiram, num acto de grande generosidade, distribuir parte das mais valias pelos trabalhadores assim repondo o corte que o governo tinha anunciado. Tudo legal e revelando um profundo desprezo pelas ordens do governo!


Para terminar com chave de ouro, o tribunal de Contas vem hoje anunciar que não consegue validar as Contas do Estado de 2009! Reparem, não as chumba porque isso determinaria existir uma ou várias razões fortes, conhecidas, estudadas, que possam ser discutidas à luz de técnicas e teorias diferentes. Não, o desprezo é a forma como anuncia a "impossibilidade" face ao primarismo da(s) marosca(s). (mudança de critérios para impedir comparações, verbas registadas em rúbricas diferentes, verbas não registadas, enfim, criatividade...)

E, agora são os sindicatos das duas maiores corporações de interesses do país (magistrados e professores) que interpuseram acções em Tribunal porque, segundo eles, o corte nos salários é inconstitucional. E os privados ficaram de fora o que também é inconstitucional. Numa palavra, por um lado estou com os sindicatos porque, basicamente, têm razão (alguma vez teria que ser); por outro lado, receio que qualquer dia quem governa sejam os Tribunais que não foram eleitos para o efeito.

Estes queridos conhecem-se bem uns aos outros!



publicado por Luis Moreira às 13:00
link do post | comentar

EDITORIAL
AUTORES
Adão Cruz

Adriano Pacheco

Alexandra Pinheiro

Andreia Dias

António Gomes Marques

António Marques

António Mão de Ferro

António Sales

Augusta Clara

Carla Romualdo

Carlos Antunes

Carlos Durão

Carlos Godinho

Carlos Leça da Veiga

Carlos Loures

Carlos Luna

Carlos Mesquita

Clara Castilho

Ethel Feldman

Eva Cruz

Fernando Correia da Silva

Fernando Moreira de Sá

Fernando Pereira Marques

Hélder Costa

João Machado

José Brandão

José de Brito Guerreiro

José Magalhães

Josep Anton Vidal

Júlio Marques Mota

Luís Moreira

Luís Rocha

Manuel Simões

Manuela Degerine

Marcos Cruz

Maria Inês Aguiar

Paulo Melo Lopes

Paulo Rato

Pedro Godinho

Raúl Iturra

Rui de Oliveira

Sílvio Castro

Vasco de Castro

Contacte-nos
estrolabio(at)gmail.com
últ. comentários
Sou James Roland, de Portugal. Alguns meses atrás,...
Oferece empréstimos de dinheiro variando de 5000 a...
Here is a good news for those interested. There i...
oferta para todosOlá, volto para todos os indivídu...
esse dalmaso nao e brasileiro ele deu depoimento e...
Meu nome é Patricia Martins, de Portugal, um pai s...
Dia bom, Meu nome é Laura Pablo, eu quero testemun...
Afinal em que ficamos? Esta coisa do Daflon do Ven...
UPDATE ON LOAN REQUIREMENT If you are in need of ...
Olá, sou ivani suarez, atualmente morando em santi...
pesquisar neste blog
 
posts recentes

De 26 de Setembro a 2 de ...

As minhas novas pegadas (...

A viagem dos argonautas

Portugal, a União Europei...

Políticos que cumprem ! P...

O Ministro Gaspar

Anima ver o lado positivo

Palavras Interditas - por...

Os jornais e as notícias ...

Summer Time - Ella Fitsge...

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

tags

todas as tags


sugestão: revista arqa #84/85
links